5 maneiras de evitar estouros no orçamento de obra

5 maneiras de evitar estouros no orçamento de obra

Se eu falar em “orçamento de obra” e perguntar o que vem à sua mente, você diria algo relacionado a problemas? A sua resposta positiva é sinal de que nós temos em nosso setor uma situação grave, mas que já é considerada normal, de tão recorrente que é.

Mas será mesmo que devemos considerar essas dificuldades nos orçamentos das obras como algo normal, ou talvez como um problema sem solução? A resposta é não. Existem várias formas de garantir que o orçamento das suas obras sejam exatas e confiáveis.

Mas o que você precisa fazer para se ver livre dos estouros de orçamento e entregar suas obras não apenas no prazo, mas também no custo certo? Como não existe apenas um problema que causa estouros no orçamento, também não existe apenas uma solução.

Pensando nisso, neste artigo eu separei 5 maneiras práticas que você pode (e deve) usar para evitar problemas com o orçamento de obra. Você vai notar que todas as formas de combate ao estouro de orçamento que vou destacar aqui têm algo em comum: elas dependem dos 3 fatores essenciais da gestão: pessoas, processos e tecnologia.

1. Ter um orçamento inicial baseado em projetos confiáveis 

O primeiro passo para cumprir com o orçamento é ser realista ao elaborá-lo. Algumas empresas desconsideram pontos essenciais na hora do cálculo e acabam tomando prejuízo em vez de ter lucro com seus empreendimentos.

Mas uma das formas de evitar isso é fazer o orçamento, com base em projetos confiáveis. E quando eu falo em projetos confiáveis, me refiro principalmente a projetos bem detalhados e compatibilizados. Por quê?

Porque esse tipo de projeto serve de base para uma quantificação correta do escopo a ser executado nas obras. Eles são feitos levando em conta detalhes executivos que os profissionais vão encontrar no canteiro e, por isso, se torna mais fácil a quantificação em detalhes que seriam deixados de lado de outra forma.

Uma tecnologia que tem chamado muita atenção nos últimos anos e já se mostrou mais do que capaz de servir na luta contra os problemas de orçamento de obra é o BIM (Building Information Modeling).

Por meio dessa tecnologia é possível criar um projeto que simula, nos mínimos detalhes, a construção toda em formato virtual. Com isso, o sistema antecipa uma série de possíveis omissões de projeto que podem gerar custos adicionais em relação ao orçamento base.

A partir daí, você tem quantitativos bem mais assertivos e suas chances de elaborar um orçamento exato em todos os pontos aumenta muito.

2. Conhecer bem seus índices de consumo e produtividade 

Outro modo de evitar problemas com o orçamento de obra é alinhar as composições de custos com a metodologia de construção que você escolheu usar em cada obra. 

Afinal, alguns métodos construtivos têm diferenças significativas entre si, que afetam diretamente o custo final da obra, desde a mão de obra até os materiais e processos utilizados.

Dessa forma, para cálculos precisos, é necessário alinhar suas composições com índices de produtividade e consumo de materiais que se encaixam na realidade da sua empresa. Tudo isso dará a você uma visão muito mais ampla e precisa dos seus consumos reais de materiais e de mão de obra, o que mitiga muito os problemas de orçamento.

Mas talvez você se pergunte o que fazer se você ainda não usa nenhum índice como base de alinhamento ou comparação. 

Nesse caso, você tem como opções usar o seu histórico de obras anteriores para projetar consumo e produtividade futura ou pode usar outras fontes externas. Essas fontes incluem benchmarking de mercado ou tabelas de referência de preços, como a SINAP.

3. Aquisições e gestão de contratos

Podemos dizer que existem dois principais fatores para uma boa gestão de aquisições e de contratos. O primeiro deles é ter processos estruturados que garantem uma estrutura de trabalho eficiente, organizada e segura, como padrão para todos os contratos e aquisições.

O segundo fator é ter um planejamento que permita ao responsável pela compra ter tempo para negociar e buscar as melhores opções dentro do mercado, sempre observando os critérios comerciais e técnicos. 

Com esses dois fatores em dia você já vai evitar boa parte dos problemas com parceiros e fornecedores que poderiam causar problemas no orçamento de obra.

Além disso, é essencial fazer uma constante comparação entre os valores e quantidades planejadas e as realizadas. Isso é importante para garantir que os parâmetros de custo inicial sejam mantidos e não haja flutuação durante a obra.

Outro ponto importante é a gestão dos contratos de terceirizados. Afinal, muitas empresas não têm o cuidado de garantir que os times dos terceirizados recebam um bom treinamento, nem que entendam os projetos de forma plena.

O resultado disso é que essas equipes acabam tendo grandes retrabalhos, que geram prejuízos de mão de obra e de materiais. Visto que, em grande parte dos casos, o material necessário para o retrabalho é de responsabilidade da contratante, o prejuízo não fica só para o terceirizado, a não ser que o contrato seja firmado para prever esse tipo de situação.

Por isso é tão importante fazer uma boa gestão dos contratos e alinhar todas as responsabilidades no que diz respeito a problemas com o orçamento de obra.

4. Gerenciamento dos materiais

Outro fator que pode facilmente estourar o orçamento de obra é a falta de controle sobre os materiais e equipamentos usados no canteiro. Afinal, manusear ou aplicar um material de forma errada gera desperdício, e fazer isso de forma constante cria um efeito dominó que contribui para o estouro do orçamento.

Por isso, uma boa prática que você pode adotar é aferir com frequência o consumo de materiais, em especial os que estão no nível A da curva ABC. 

Além disso, para gerenciar melhor os materiais, você pode gerar kits de liberação dos insumos do almoxarifado conforme as necessidades dos pacotes de trabalho.

Assim, é possível evitar o desperdício e garantir o consumo de materiais conforme o planejado em cada atividade. É claro que, nesse caso, você também vai precisar estabelecer um controle sobre a liberação desses kits.

Mas essas medidas tornam possível não apenas controlar como os materiais e equipamentos são usados, mas também fazer ajustes rápidos se o realizado começar a desviar do planejado, antes que o problema chegue a afetar o orçamento global definido.

5. Gestão da mão de obra

Um dos principais gargalos na gestão da construção civil é a gestão da mão de obra, pois existe uma grande dificuldade em aferir os custos e a produtividade das tarefas realizadas e comparar com os índices planejados para a obra.

Além disso, diversos aspectos no ambiente do canteiro de obras influenciam diretamente nos custos da mão de obra. Entre eles, podemos destacar a motivação das equipes, a logística do canteiro e as condições do ambiente de trabalho.

Um bom estudo de logística de canteiro pode, por exemplo, minimizar os deslocamentos desnecessários dentro da obra e também reduzir os tempos de paradas das atividades por falta de materiais, informações e equipamentos. 

Para você ter uma ideia da importância da logística do canteiro, segue um cálculo que mostra que os custos com transportes e movimentos podem chegar a até 11% do custo total dentro de uma obra:

40% do custo da obra é destinado a mão de obra x 40% da mão de obra de serventes x 70% do consumo da mão de obra de serventes é destinado ao transporte de materiais = 11% do custo da obra é destinado a transporte/movimentações

Isso mostra que o desperdício nas obras da construção civil não está só na perda de materiais ou em orçamentos mal elaborados, mas em tudo o que não agrega valor ao produto final. 

Por isso, é preciso encontrar formas de combater o desperdício em todas as suas formas, seja dentro do canteiro de obras ou fora dele. E o Lean Construction é a metodologia de trabalho que mais tem mostrado resultados nesse respeito.

Por meio de princípios de trabalho bem definidos, o Lean tem ajudado empresas de todos os tamanhos a concentrar os recursos de tempo, dinheiro e energia no que mais importa na obra. E como estamos no meio da transformação digital, a tecnologia tem um papel vital no Lean Construction.

Prova disso é o Agilean, ferramenta pioneira na aplicação do Lean Construction que funciona desde o planejamento até a execução e gestão da mão de obra nos canteiros. 

O Agilean torna possível eliminar o principal gargalo na gestão da mão de obra, que são os apontamentos. O sistema faz isso por meio do uso de tecnologias que permitem fazer o auto-apontamento da produção, gerando indicadores de produtividade e desperdício dentro do canteiro a cada segundo. 

Com as ferramentas da metodologia Lean você vai ver como fica mais simples aplicar qualquer uma dessas 5 maneiras de combater os problemas no orçamento de obra, ou mesmo usar todas elas em conjunto.

Agora me conta aqui nos comentários quais dessas 5 maneiras de combater os problemas no orçamento de obra você mais gostou e como acha que o Lean Construction pode te ajudar!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin