Obrigatoriedade do BIM: sua empresa está preparada?

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Decreto 10.306/2020, também conhecido como Decreto BIM 2020, estabelece a utilização do Building Information Modeling (Modelagem da Informação da Construção) na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia realizados por órgãos e entidades da administração pública federal. 

A medida visa incentivar o desenvolvimento do setor da construção civil, ao mesmo tempo em que garantirá maior economia às compras públicas e maior transparência aos processos licitatórios. 

Ainda no Decreto BIM 2020, foram definidos os órgãos que serão vinculados às ações de disseminação da estratégia, sendo eles:

  • Ministério da Defesa: Exército, Marinha e Aeronáutica;
  • Ministério da Infraestrutura: Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Os cinco órgãos são pilotos na estratégia de impulsionar a disseminação e adoção da plataforma BIM. A intenção é que, aos poucos, sua utilização se estenda a outros órgãos, independente de sua obrigatoriedade. 

O BIM no mundo

No mundo, há países que são considerados ótimos exemplos no uso do BIM. São os casos do Reino Unido, Singapura, Estados Unidos, Holanda e França. 

Em muitos países, a adoção do BIM partiu de iniciativas top-down, ou seja, a metodologia foi implantada a partir da conscientização sobre a importância de seu uso, seja por meio da gestão governamental ou pela alta direção empresarial.

Nos EUA, por exemplo, o Corpo de Engenheiros do Exército Americano exige o uso do BIM desde 2008; na Europa, o Parlamento Europeu aprovou, em 2014, uma diretriz que também incentiva o uso do BIM em obras públicas. 

A esfera pública tem feito a diferença e fortalecido o uso da metodologia, garantindo a efetivação de seu uso e dando condições para que o mercado se adapte à metodologia. 

Como o BIM pode te ajudar

De forma resumida, trata-se de uma nova metodologia, viabilizada por tecnologias avançadas que permitem projetar, gerenciar, construir e operar as edificações de forma mais assertiva e eficiente. Ele envolve e agrupa informações de todo o ciclo de vida de um projeto.

O conceito de “plataforma BIM” está associado ao fato de ela agregar todas as disciplinas e informações relevantes para os gestores em uma única plataforma, possibilitando a integração entre projeto, planejamento, custos e qualidade, reduzindo e antecipando erros e problemas, através da pré-construção virtual de sua obra. 

Entre os diferenciais da tecnologia está a pré-construção virtual, que permite contemplar informações geométricas, bem como insumos, custos, produtividades até informações relativas à fabricação e ao uso e operação dos componentes inseridos no modelo. 

A metodologia também permite uma mudança no fluxo de produção dos empreendimentos desde a concepção dos projetos, tornando essa etapa mais colaborativa. Também permite que múltiplos projetistas desenvolvam o seu projeto em um modelo único, visualizando interferências e otimizações.

Vale destacar que algumas empresas estão optando pela utilização de prestadores de serviços BIM. É o caso da Normatel Engenharia, que contratou a Aval Engenharia para fazer este trabalho, possibilitando uma grande velocidade na implantação do BIM para a empresa. Saiba mais no vídeo a seguir:

A Aval Engenharia possibilitou a integração entre o planejamento, orçamento e a modelagem BIM, o que é de suma importância durante o acompanhamento e controle de atividades de um empreendimento. Por meio dessa integração, as dúvidas que acontecem no canteiro podem ser sanadas imediatamente, pois todos os projetos da obra ficam acessíveis para consulta e possíveis modificações. 

Importância do BEP

Para que o BIM seja utilizado em todo seu potencial é importante ter estruturado o BIM Execution Plan (Plano de Execução BIM). O documento promove uma estrutura de trabalho e estratégias que conduzirá o projeto de forma eficiente; determinando diretrizes, critérios e usos do modelo para todas as fases do projeto. 

O desenvolvimento de um BEP efetivo pode definir o sucesso de um projeto BIM. Geralmente, é definido um BEP de contrato a contrato e por empreendimento em decorrência das diferentes variáveis de cada projeto. 

Integração entre a Agilean e o BIM 

Tendo em vista a importância do BIM e a entrada do Decreto BIM 2020 em vigor, o Agilean também se atualizou. A nossa plataforma, que já utiliza os conceitos do Lean Construction, agora também realiza integração com o BIM. 

Por meio do Agilean BIM² é possível visualizar o estágio da obra no modelo em tempo real, concentrar todas as informações em um único lugar, garantindo a gestão da obra em múltiplas dimensões. A plataforma também possibilita visualizar o planejado versus o executado, identificando restrições e controlando custos. 

E olha que interessante: o Agilean é a primeira plataforma de gestão da produção nacional integrada ao BIM. Estamos muito orgulhosos em oferecê-la a você de forma a colaborar para que sua construtora entre de vez na revolução digital, tornando seus negócios muito mais competitivos, com o máximo de qualidade. 

Etapas de implementação do BIM 

Nesta agenda de ações para garantir a implementação do BIM no Brasil, a principal delas é a obrigatoriedade por si só. Porém, a exigência acontecerá de modo gradual no país. 

Assim, a implementação será dividida em três fases:

  • Primeira fase: desde 1º de janeiro de 2021, o BIM deverá ser adotado em projetos de arquitetura e de engenharia para construções novas, ampliações ou reabilitações, em obras do governo federal. Nesta fase, será proposta a exigência do BIM na elaboração e revisões dos modelos de arquitetura e de engenharia, na detecção de interferências, na extração de quantitativos e na geração de documentação gráfica, a partir desses modelos.
  • Segunda fase: a partir de 1º de janeiro de 2024, deverá contemplar algumas etapas que envolvem obra, como o planejamento da execução da obra, para construções novas, reformas, ampliações ou reabilitações e a atualização do modelo e de suas informações como construído (As Built), para obras cujos projetos de arquitetura e engenharia tenham sido realizados ou executados com aplicação do BIM.
  • Terceira fase: a partir de 1º de janeiro de 2028, o BIM deverá ser utilizado no desenvolvimento de projetos de arquitetura e engenharia e na gestão de obras referentes a construções novas, reformas, ampliações e reabilitações, e no gerenciamento e a manutenção do empreendimento após a sua construção, cujos projetos de arquitetura e engenharia e cujas obras tenham sido desenvolvidos ou executados com aplicação do BIM.

O que avaliar para implantar o BIM

Antes de implantar o BIM em sua construtora, é importante fazer um mapeamento das possibilidades de seu uso. 

Conforme os principais desafios da sua construtora, é possível definir, de forma sequenciada, quais usos do BIM devem ser abordados em cada momento, permitindo que se tenha foco e implementações alinhadas com o nível de maturidade BIM da empresa.

Pensando nisso, listei 6 pontos de atenção para você avaliar na sua empresa:

1. Quanto menor, mais fácil adotar o BIM

Muita gente pensa que as dificuldades em implementar a tecnologia BIM estão relacionadas ao software, quando, na verdade, ela tem mais a ver com preparar seu pessoal para utilizá-lo. Por isso, é mais fácil gerir este processo em um grupo menor. 

2. O processo ocorre em etapas

A implantação do sistema passa por etapas. Inicialmente, seu escritório deve trabalhar em meio a outras empresas das quais você depende e que ainda não migraram para a nova metodologia. A seguir, há a fase de protótipo, quando o BIM já foi implementado, mas não de forma oficial, e a última etapa, na qual a utilização do BIM é obrigatória em pelo menos 60% dos projetos do seu escritório. 

3. Transforme seu ambiente de trabalho

Adapte o ambiente de trabalho para um sistema mais colaborativo, com facilidade em compartilhamento de dados e informações, para que seja possível projetar de forma mais rápida e eficiente.

4. Invista em treinamento e ferramentas

Em geral, o investimento para implementação do sistema BIM está dividido em: hardware (20%), software (30%) e treinamento do pessoal (50%). Lembre-se sempre que não é apenas a tecnologia que precisa evoluir, mas também as pessoas. 

5. Não crie restrições quanto ao tamanho dos projetos

Não são necessários grandes contratos para que a sua empresa passe a utilizar a tecnologia BIM. Ele é possível de ser implementado em projetos de qualquer escala. 

6.  Único padrão de informações

Por fim, mas não menos importante, lembre-se que é importante coordenar o sistema de trabalho para garantir um mesmo padrão de informações necessárias serem inseridas no modelo para cada etapa do projeto.

Para saber mais, te convido a assistir a minha palestra no Conenx Innovation, na qual eu explico as integrações entre IoT, Inteligência Artificial, Lean e BIM. Assista: