Início » Como garantir um gerenciamento de obra eficiente

Como garantir um gerenciamento de obra eficiente

Gerenciamento de obra

Você sabe como é importante garantir que o gerenciamento de obra seja o mais eficiente possível, pois isso afeta diretamente o resultado de sua obra. E o gerenciamento bem-feito passa diretamente por um bom planejamento, desde o início do projeto.

E é aí que muitas construtoras e incorporadoras pecam:

Não basta apenas ter bons gestores de pessoas, ou processos validados de trabalho. É preciso ter uma metodologia capaz de reduzir os gargalos e incertezas da produção e manter a produtividade sempre alta. Além disso, é essencial conseguir identificar sem demora problemas durante a obra, e aplicar medidas práticas para corrigir esses desvios.

A má notícia é que os métodos tradicionais já se provaram incapazes de resolver esses desafios. Prova disso é como o estouro de orçamento, desperdício e atrasos continuam entre os principais problemas do setor construtivo, em obras de todos os tipos.

Por isso, neste artigo eu vou mostrar como uma metodologia baseada nos conceitos do Lean Thinking pode tornar seu gerenciamento de obra mais eficiente e produtivo.

Como o Lean Thinking pode tornar o seu gerenciamento de obra mais eficiente

O grande problema dos métodos tradicionais de planejar obras é que com eles há uma grande tendência de termos uma baixa aderência entre aquilo que foi planejado e aquilo que efetivamente está sendo executado no canteiro. Em que sentido?

A maioria das obras leva um tempo considerável para ficar pronta. E quanto maior o horizonte de tempo que vamos planejar, mais variáveis e incertezas vão surgir impedindo que o plano saia conforme o esperado. 

Ou seja, mesmo que o plano seja muito bom no papel, são grandes as chances de que as variáveis do dia a dia tornem necessário mudar o planejamento. E, com isso, muda também o cronograma, o orçamento e outros pontos sensíveis do empreendimento.

Por outro lado, aplicando o Lean Thinking com a metodologia Last Planner System mudamos essa situação, porque através de uma metodologia com 3 níveis hierárquicos de planejamento é feito um trabalho que protege o planejamento de longo prazo e garante que o último planejador, ou seja, aquele que irá executar a tarefa, tenha condições de executá-la dentro das variáveis de prazo, produtividade, qualidade e custo planejados. 

mantém 3 níveis de planejamento, que “conversam” entre si o tempo todo. São 3 níveis de planejamento, e cada um trabalha bem amarrado ao outro.

Assim, em um processo interativo as atividades somente são liberadas para o curto prazo quando passam por um conjunto de critérios e detalhamentos que são feitos no nível hierárquico de médio prazo. E este, por sua vez, é feito com base em uma análise mais detalhada do planejamento de longo prazo. 

Assim, conseguimos utilizar os conceitos e princípios do Lean Construction, como o de proteger a produção e eliminar a variabilidade desde o planejamento das obras. 

Entenda os 3 níveis de hierarquia do Last Planner System

Por se basear em 3 níveis de hierarquia, o Last Planner System é muito mais preciso e permite que as equipes de trabalho foquem em atividades que possam ser executadas com o máximo de produtividade. Com o sistema, a obra passa a ter uma maior estabilidade na produção e uma grande aderência entre aquilo que foi planejado e realizado de fato.

Entenda agora como cada nível hierárquico do Last Planner System funciona e como eles estão ligados entre si:

1. Planejamento Master: o que deve ser feito

O planejamento Master é o plano de longo prazo da obra, indo desde a sua data de início até a de término. Com base no escopo geral da obra, são definidas quais serão as principais premissas e restrições de execução da obra. 

Entre as atividades mais importantes no planejamento de longo prazo temos a definição dos lotes de produção que serão adotados, a forma de agrupamento macro das atividades em células de produção, regras de precedência e o dimensionamento das equipes de produção. Partindo disso, é gerado um cronograma global, menos detalhado, contemplando as atividades de produção e os suprimentos mais importantes. 

Uma dica para realizar o seu planejamento Master com excelência é utilizar as informações da nossa mentoria, baseada em mais de 20 anos de experiência em planejamentos Lean. Acesse agora a nossa mentoria gratuita.

2. Planejamento Lookahead: o que pode ser feito

O planejamento de médio prazo da obra, também conhecido como Lookahead, serve para antecipar as restrições que podem impedir o início das atividades de curto prazo. Ou seja, ele protege o plano de longo prazo das incertezas por meio da identificação e prevenção de problemas.

Enquanto a linha de tempo do planejamento Master é a obra toda, no Lookahead a avaliação é em períodos de alguns meses. Esse é o tempo suficiente para manter o objetivo final em vista, mas sem perder o contato com a realidade do dia a dia no canteiro.

Em resumo, o planejamento Lookahead envolve montar um plano em um horizonte de tempo reduzido (exemplo: mensal, bimestral, trimestral) de forma que possamos enxergar o que pode ser feito para evitar desvios do plano master durante a execução da obra (curto prazo).

Isso inclui os fluxos de trabalho auxiliares para execução dos pacotes de serviços, a avaliação da necessidade de decompor os pacotes e o dimensionamento das equipes de trabalho.

Então, caso seja necessário, a equipe vai executar um plano prático para evitar ou rever algum desvio que possa afetar o planejamento Master.

3. Planejamento de Curto Prazo: o que será feito

O planejamento de curto prazo é onde se define a execução das atividades que foram liberadas no plano de médio prazo, ou seja, que não têm nenhuma restrição ou impedimento e podem começar de imediato.

O horizonte de tempo do plano de curto prazo é semanal, e seu foco está no percentual dos pacotes concluídos (PPC). Como indicador secundário, está a análise das causas do não cumprimento de metas.

Como o planejamento Lookahead impacta seu gerenciamento de obra de maneira profunda

Mesmo com a explicação acima, vale a pena dar um foco especial ao planejamento Lookahead, o plano de médio prazo da obra. No fim das contas, é ele quem concentra o grande poder do Last Planner System, pois ele protege tanto o curto quanto o longo prazo.

De uma forma simples e direta, no Lookahead você consegue, ao mesmo tempo:

  • avaliar o quanto o cronograma está avançando rumo ao objetivo Master;
  • encontrar restrições que podem barrar a conclusão de pacotes no curto prazo.

Ou seja, o plano intermediário mantém a obra rodando sempre em desempenho máximo. Mas, para que isso aconteça, você precisa dominar o processo produtivo como um todo. Isso inclui o modo de operar da empresa, e as responsabilidades de cada setor. 

Além disso, você precisa de uma metodologia clara e disciplina para estruturar rotinas que funcionam de acordo com os 3 níveis da hierarquia de planejamento.

Conheça o principal indicador de desempenho do planejamento de médio prazo

O principal indicador de desempenho no planejamento de médio prazo da obra é o IRR (Índice de Remoção das Restrições). Essa métrica acompanha quantas restrições foram removidas em determinado período, e compara esse valor com o número de restrições que a equipe planejava remover.

Assim, o IRR torna possível ver quais são as chances de realizar as atividades do plano Master dentro do prazo estabelecido. Por acompanhar de perto o IRR, é possível encontrar os reais gargalos que causam variabilidades recorrentes e agir com antecedência necessário para viabilizar uma execução de obras bem mais alinhada com o planejamento.

Então, com as ações práticas e tomadas com antecedência, o IRR tende a ser alto. Assim, o PCC (Percentual dos Pacotes Concluídos), o indicador final da aderência entre o planejamento e execução, também sobe.

Por isso, fica claro como o Lean Thinking e a aplicação do Last Planner System tornam o seu gerenciamento de obra mais eficiente e produtivo. Diferente dos métodos tradicionais, o planejamento em 3 níveis de hierarquia faz toda a diferença. 

Além disso, ele foca nos indicadores certos de desempenho para cada etapa planejamento, o que garante uma visão clara das tendências de sua obra em relação ao cumprimento dos prazos, qualidade e custo conforme o planejado.

Para finalizar, quero deixar uma dica importante. O nosso time de especialistas desenvolveu um Kit de Gestão que vai te ajudar a aumentar a confiabilidade dos seus cronogramas. Além de um guia completo sobre o Last Planner System, você vai receber ferramentas úteis que foram usadas e validadas pelos nossos profissionais:

  • Gerador de Curva S
  • Planilha de Restrições
  • Template de relatórios de curto prazo

Com este material, você será capaz de colocar a mão na massa e aplicar a mesma metodologia que nos permitiu aumentar em 50% a aderência entre tarefas planejadas e realizadas em diversos canteiros. Essas ferramentas e técnicas foram usadas pelo nosso time de consultores com extremo sucesso em mais de 4 milhões de m² de construção.

Garanta agora o seu Kit de Gestão gratuito e comece a usar o Last Planner no planejamento e gerenciamento de obra da sua empresa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.